Maria Poesia

Psicanálise e a Poesia na Vida Cotidiana.

A gente inventa a vida para caber dentro dela.

Textos

Acordando os desejos...



Nosso sistema neurológico não nasce pronto.

Os neurônios (célula do sistema nervoso responsável por conduzir os impulsos nervosos até o Sistema Nervoso Central ) que trazemos ao nascer ficam como que dormentes ainda (como iríamos passar pela abertura vaginal se nosso cérebro viesse pronto? – para quem já levou um bebê ao pediatra -lembra que ele vai medindo a cabeça do bebê para avaliar o desenvolvimento neuronal?).
 
Importante esta compreensão. Preste atenção!
Aos poucos é que os neurônios vão sendo mielinizados.
Só quando uma capa de mielina (uma espécie de gordurinha) vai recobrindo o neurônio é que eles *acordam**, ou seja, só a partir do momento em que são mielinizados é que começam a conduzir os impulsos nervosos.
Ok até aqui?
 
Veja só... aos pouquinhos nossas experiências vão se imbricando (se misturando) junto com aquela gordurinha... é quando começam as sensações corporais.
Nos primeiros tempos é só esta a nossa memória (mnêmica –pois não temos ainda a linguagem).
É nosso corpo.
É nossa pele.
Que fala...
que sente...
que deseja!
 
Quando a mãe lambuza o corpo do bebê com o seu desejo ela está “acordando” os desejos do bebê também.
Acordando para a vida.
Vida das sensações e das percepções.
 
É assim que são fundadas as nossas zonas erógenas.
Sabia disto?
Entendeu porque os pés são um fetiche para tanta gente?
Sim, os pés são zonas altamente libidinais justamente por isto.
A mãe beija, lambe e acaricia toda esta região.
E quando faz a higiene, toda a região anal e genital também é acariciada (zonas erógenas por excelência).
E é nestas sensações que o bebê vai crescendo e mielinizando seu corpo.

Fundamental: Nesta dança neuronal a *palavra* da mãe é a música que vai *constituindo*e *inscrevendo* o desejo no sujeitinho - e que a psicanálise chama de pulsão.
Somos sujeitos pulsionais.
Nosso desejo pulsa dentro de nós!
 
Compreendeu a profundidade do entendimento desta coreografia que se torna o protótipo de toda a dança da nossa vida afetiva?
Nosso sistema interoceptivo (interno) se misturou com o exteroceptivo (o ambiente) e tatuou no nosso corpinho todas aquelas sensações de prazer que sentíamos quando nossa mãe cuidava de nós.
 
Quando as capas de mielina se formaram, foi “colado” no nosso corpo esta mistura. Mistura do carinho da mãe que lambuzava nosso corpinho de desejo (do seu desejo por nós) com o biológico.
Nunca mais seremos os mesmos.
Nosso corpo vai buscar o prazer de ser cuidado e ser desejado para o resto dos nossos dias.
Por isto a nossa singularidade.
Por isto cada um de nós é um nas suas sensações de prazer.
 
Só Freud (sendo neurologista) poderia ter sido esse maestro tão lindamente humano, para compor a partitura desta sonata do despertamento do desejo, concorda?


Neusa Maria 
12.03.2015



Outros textos nos links abaixo:

Gritos calados 


No cio dos afetos

Quando os desejos dessangram






 
Neusa Maria
Enviado por Neusa Maria em 12/03/2015
Alterado em 30/01/2016
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Sonhos, Poesia e Psicologia