Maria Poesia

Psicanálise e a Poesia na Vida Cotidiana.

A gente inventa a vida para caber dentro dela.

Textos

 
No encontro das pedras e o mar
uma relação impulsiva.
Nos fluxos e refluxos do oceano,
ondas chegam,
as vezes mansas...
deslizam apenas,
ou o encontro é arrebatador...
impetuoso e contundente.
 
... pedra e mar se abraçam ,
inundam-se de intensidades,
derramam-se um no outro quando a maré (de novo) transborda.
 
...mas (de novo)o mar vai embora
...não importa... 
...já renovou as águas nas covinhas das rochas.
Deixando seu carinho nas brumas das ondas.
 
 e no manto de renda branca...
... tempos depois nascem os peixinhos... 
e a afirmação da vida se faz...
 
...no adeus um chuá, chuá, chuá...
sussurrado...quase um lamento...
 
...e uma brisa silenciosa fica acariciando
as evanescências na maresia das lembranças...
 
................................
 
Pensei nos encontros da vida.
Na existência que vai se completando; nos ritmos de movimentos e afetos, de encontros que não são como parecem ser...apenas esbarrões.(não só os amorosos, mas de afetos que se engendram muitas vezes ao acaso).Por mais intensos e rápidos,por mais que o mar revolto e as palavras do mundo se entrecortem como quilhas no destino cruzado...

não importa...
... é o espaço que em seus mil alvéolos retém o instante comprimido nos  marulhos de seda dos momentos –apenas versões da alma do tempo!
 
Paz e bem pra ti
sempre!
Neusa Maria
12.02.2014

Imagem:Joaquín Sorolla

 
Neusa Maria
Enviado por Neusa Maria em 12/02/2014
Alterado em 30/01/2016
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Sonhos, Poesia e Psicologia