Maria Poesia

Psicanálise e a Poesia na Vida Cotidiana.

A gente inventa a vida para caber dentro dela.

Textos


Nas escarpas do meu destino,
No desamparo e na angústia,
Nas perdas(tantas)
Nas  rejeições(tão doídas)
Mesmo urrando de dor...
me deixei acrisolar.
 
Nas gangas do garimpo da minha existência,
a catarse vai acontecendo...
nos meus excessos,
que  o fogo da existência vai calcinando
e lapidando.
 
No lodaçal das minhas ilusões,
purificadas pelos bicames de água
no estuário dos meus
sonhos...
 
...na decantação do sofrimento e agonia nas talhas dos meus medos(muitos).
 
No ponto de clivagem das minhas limitações (tantas),
na bateia dos meus acertos, 
ainda procuro por um lampejo...
um brilho de esperança...

...quem sabe!
 

Neusa Maria 
06.02.2013




Lembrando Schopenhauer: 

“O homem, via de regra, é enganado pela esperança até dançar nos braços da morte! " (Livro O Vazio da Existência).


Links para outros textos do site:


O olhar de quem nos ama.

Rasgos na carne.

Paixão, erotismo e cotidianicidades.




 
Neusa Maria
Enviado por Neusa Maria em 06/02/2013
Alterado em 30/01/2016
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Sonhos, Poesia e Psicologia